Jóias com gemas naturais serão negociadas em feira no Sul

O charme e a beleza das jóias com gemas naturais produzidas no Rio Grande do Sul vão estar presentes na 2ª Ajorsul Fair, promovida pela Associação do Comércio de Jóias, Relógios e Óptica do Rio Grande do Sul (Ajorsul), voltada para o varejo, que acontece de 22 a 25 de março, no Centro de Eventos da Federação das Indústrias do Rio Grande do Sul (Fiergs), Av. Assis Brasil, 8787, em Porto Alegre.

O evento conta com a participação do Sebrae no Rio Grande do Sul que promoverá, pela primeira vez, o Projeto Comprador, com o objetivo de aproximar clientes nacionais e empresas gaúchas fabricantes de jóias. A participação de cerca de 15 empresas do Arranjo Produtivo Local (APL) de Gemas e Jóias de Guaporé, município distante 199 quilômetros de Porto Alegre, e o desfile da segunda coleção de jóias do projeto Pró-Design também estão sendo incentivados pelo Sebrae.

De acordo com a supervisora do Sebrae Vale do Taquari e do Rio Pardo e gestora do Arranjo Produtivo Local (APL) de Jóias de Guaporé, Liane Klein, o Projeto Comprador busca oportunizar para as empresas o acesso direto a novos clientes, facilitando o contato com potenciais compradores. "É uma forma de aproximar as indústrias de jóias do mercado, ampliando as possibilidades de negócios", analisa a supervisora.

A importância da ação, conforme Liane, pode ser explicada no fato de o Rio Grande do Sul ser o segundo maior estado brasileiro fabricante de jóias folhadas. Estarão presentes na feira compradores de São Paulo, Amazonas, Rio de Janeiro, Santa Catarina, Pernambuco, entre outros estados. O APL visa ampliar o faturamento e a geração de emprego no setor joalheiro de Guaporé e região e em integrantes da cadeia produtiva.

Liane espera que os compradores nacionais, ao assistirem ao desfile da segunda coleção de jóias do projeto Pró-Design, que apresentará peças folhadas em ouro e prata com pedras naturais do Estado, comecem a perceber o potencial das empresas gaúchas. A coleção de jóias foi desenvolvida pelos técnicos do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai/RS), por meio de uma iniciativa do Sebrae Nacional, em parceria com a Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

Conforme a gestora, oito empresas ligadas ao APL participam do projeto e estão envolvidas no processo de produção da coleção de jóias. As gemas naturais são pedras preciosas encontradas no Estado, entre as mais conhecidas, estão a ametista, a ágata, o quartzo rosa, o citrino e o cristal de rocha.

O presidente da Ajorsul, Rogério Sperb, lembra que a feira oportuniza negócios por meio de pedidos de pronta-entrega, nos segmentos de jóias em ouro ou prata, folhados, acessórios, pedras, relógios e óptica. "Queremos promover o desenvolvimento da indústria de jóias no Rio Grande de Sul, que é muito rica e bem trabalhada", explica.

De acordo com ele, durante a 2ª Ajorsul Fair, acontecerá o lançamento do livro ‘Joalheria de Arte’, da escritora Gloria Corbetta, e dois workshops que abordarão a gestão de negócios e o visual de lojas, como vitrine e layout. "Esperamos que, com as novidades e o Projeto Comprador, as indústrias gaúchas cresçam, pois a feira trabalha com toda a cadeia produtiva da jóia", diz o presidente Rogério Sperb.

Para o proprietário da Qualitá Artefatos de Metais de Guaporé, Romeu Bressan, a expectativa para as atividades durante a feira é bastante grande, principalmente, para o Projeto Comprador. "A ação proporcionará contatos com clientes importantes no mercado nacional. Mesmo que não aconteça nenhuma compra durante o evento, é possível estabelecer relações que oportunizem futuros negócios", explica.

O APL de Jóias de Guaporé conta com a participação do Sindicato das Indústrias de Joalheria e Lapidação de Pedras Preciosas do Nordeste Gaúcho (Sindijóias), Ajorsul, Senai, Governo do Estado do Rio Grande do Sul, Câmara de Indústria e Comércio (CIC) de Guaporé, Federação e Centro das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs/Ciergs), Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (Senac), Universidade de Caxias do Sul (UCS), Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM), Associação de Jóias e Lingerie de Guaporé (Ajoli), Centro Universitário Feevale e Prefeitura Municipal de Guaporé.

Voltar ao topo