O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara, Ricardo Izar (PTB-SP), fixou hoje um calendário para a votação dos processos de cassação pendentes no colegiado. Izar esteve com o presidente da Casa, Aldo Rebelo (PC do B-SP), para discutir as votações.

O presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara negou ter sido cobrado por Rebelo para tornar ágil a conclusão dos processos no órgão. "O presidente Aldo não cobrou nada. Nunca ninguém foi tão ágil com o conselho", defendeu-se.

Izar lembrou que tem até dia 17 para concluir as ações. Esse é o prazo final com a prorrogação pedida pelo Conselho de Ética e Decoro Parlamentar e aprovada pelo plenário. O cronograma fixado pelo ele levará as representações pelo menos até meados de abril. Na quinta-feira (23) será a votação do processo do deputado José Mentor (PT-SP). No dia 28, será marcada, segundo Izar, a leitura do parecer do processo contra o deputado Josias Gomes (PT-BA). Com um eventual pedido de prazo de duas sessões para análise (pedido de vista), a votação fica transferida ao dia 4.

No dia 30, o presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Câmara pretende fazer a leitura do processo contra o deputado Vadão Gomes (PP-SP). Em caso de pedido de vista, o processo será votado no dia 11.

A ação contra o deputado José Janene (PP-PR) está sem previsão porque, com uma licença médica, ele não foi depor. Além disso, Rebelo analisa o pedido de aposentadoria por invalidez feito por Janene.

Izar defendeu uma consulta do presidente da Câmara à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) para saber se o deputado do PP do Paraná poderá se aposentar e se, no caso de aposentadoria, o processo de perda de mandato deverá prosseguir.