Ribeirão Preto (AE) – Os irmãos do advogado Rogério Tadeu Buratti, Rosângela Buratti e Renato Buratti Neto, prestaram depoimento, na tarde de hoje (14), na sede Polícia Federal, em Ribeirão Preto. A pedido da CPI dos Bingos, a PF designou o delegado Fernando Ayres, de Brasília, para ouvir os depoimentos. A CPI quer obter informações das funções dos parentes e de ex-sócios de Buratti em três empresas, além de possíveis informações relacionadas ao caso Gtech. A ex-mulher de Buratti, Elza Gonçalves Siqueira Buratti (ainda não são divorciados) e Luiz Antonio Prado Garcia serão ouvidos amanhã (15) na PF. A Assessoria de Imprensa da CPI dos Bingos informou, no início da noite de hoje (14) que ainda não tinha detalhes dos depoimentos, já que Ayres não vai fazer comentários.

Buratti foi sócio de Rosângela e de Garcia na Assessorarte, mas o advogado saiu da empresa há alguns anos, vendendo sua parte para a irmã, que também desligou-se depois. A ex-mulher Elza foi sócia de Buratti na BBS Consultores, que tinha como sede o endereço da filha de uma ex-copeira da Leão Leão, em Jardinópolis. E Buratti Neto foi sócio de Rogério e de Juscelino Dourado, ex-chefe de gabinete do ministro Paloci, na Editorarte, uma empresa que praticamente não saiu do papel e foi desativada poucos meses depois. Rosangela chegou às 14 horas e Buratti Neto às 16 horas. Após os depoimentos, ambos ficaram na sede da PF até que os jornalistas saíssem, no início da noite.