O Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revisou para baixo o crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro de 2006 – a soma das riquezas produzidas no país. O último boletim divulgado pelo instituto previa um crescimento de 3,8% e agora fica em 3,3%.

O boletim trimestral de conjuntura do instituto divulgado hoje (6) no Rio de Janeiro mostra que entre os componentes do PIB houve revisão para baixo também nas projeções do consumo das famílias (de 4,8% para 4,3%), dos investimentos (de 7,8% para 6%) e das exportações (de 5,3% para 4,5%). A projeção para a produção industrial foi reduzida de 5,3% para 4,2%; a agropecuária, de 2,5% para 2,3%, e os serviços, de 2,7% para 2,4%.

A projeção do Ipea para a balança comercial é de fechar 2006 com saldo de US$ 43,6 bilhões e, em 2007, deve ficar em US$ 40,1 bilhões.  A inflação medida pelo IPCA projetada pela instituição vai ficar em 3,2% em 2006 e 4,5% em 2007. O câmbio médio deste ano fecha o ano em 2,19% e em 2007 em 2,25%.