Rio – A condução austera da política monetária adotada pelo Banco Central aliada ao comportamento da taxa de câmbio levaram o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) a rever para baixo a projeção de inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor amplo (IPCA) neste ano. O Boletim de Conjuntura de março, divulgado hoje, traz uma projeção de 5,7%. Em dezembro, a estimativa de inflação era de 6,1%.

No último boletim, a projeção para o câmbio médio no ano era de R$ 3,11 e, agora, o Ipea já trabalha com a média de R$ 2,97. Para o economista Paulo Mansur Levy, coordenador do Grupo de Acompanhamento Conjuntural do instituto, IPEA, ?isso em si ajuda a retirar pressão da inflação e, conseqüentemente, reduzir a taxa no ano?.

O economista lembrou que o saldo da balança comercial projetado pelo Ipea está crescendo de forma significativa, seguindo patamares do ano passado, que se mantiveram acima das estimativas. Segundo ele, o déficit de transações correntes, acompanhando a melhora da balança comercial, caiu de US$ 3,9 bilhões para US$ 1,4 bilhão.