Alimentos e habitação foram as principais quedas no Índice de Preços ao Consumidor (IPC), divulgado, nesta terça-feira, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O IPC é um dos três índices que compõem o Índice Geral de Preços-Disponibilidade Interna (IGP-DI).

Alimentação teve queda de 0,64% em julho e de 1,57% em agosto. Habitação, que teve inflação de 0,72% em julho, teve deflação de 0,02% no mês de agosto. Nos alimentos, as principais quedas foram nos preços do mamão papaya (-25,17%) e no tomate (-13,94%).

As tarifas de telefone residencial tiveram alta de 0,84%. Mas o resultado é menor que a inflação do mês anterior: 4,25%. Também houve elevação na taxa de água e esgoto de 0,13% para 1,22%, mas no aluguel residencial ela não se alterou e permaneceu em 0,28%, o mesmo aconteceu com os planos e seguros de saúde (0,93%).

A tarifa de eletricidade residencial que pressionou a inflação em julho, no mês passado registrou queda passando de ?0,30% para ?0,92%.