Brasília (AE) – Foram postos em liberdade, nos primeiros minutos da madrugada deste sábado, os onze suspeitos de cometerem irregularidades em licitações do Ministério da Saúde que estavam presos na Superintendência da Polícia Federal, em Brasília.

Os onze suspeitos foram soltos por decisão da Justiça Federal, que não prorrogou a prisão temporária e nem a transformou em prisão preventiva, conforme solicitado pelo Ministério Público e pela Polícia Federal. Os suspeitos, a partir de agora, responderão em liberdade ao inquérito conduzido na chamada “Operação Vampiro”.