As requisições de benefícios previdenciários cresceram quase 60% entre 2003 e 2006. Só a requisição do auxílio-doença mais que dobrou nos últimos dois anos, pulando de 203 mil pedidos, em janeiro de 2005, para 421 mil pedidos em janeiro passado. Diante dessa avalanche de acesso aos benefícios, o governo lançou ontem o edital de licitação para a implantação do quarto centro de teleatendimento no País.

Esse aumento da requisição de benefícios e a qualidade da gestão e do atendimento no Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) são dois dos assuntos em debate a partir de amanhã no Fórum da Previdência, em Brasília.

No caso do estouro dos pedidos de auxílio-doença, o governo tem uma diagnóstico firmado, o de que precisa controlar as concessões porque a despesa com esses pagamentos triplicou nos últimos seis anos: de R$ 4 bilhões, em 2000, para R$ 12,3 bilhões no ano passado. Em 2005, a despesa bateu recorde e chegou a R$ 13,1 bilhões.