Foto por: Paul Ellis

Os jogadores ingleses pediram neste domingo que entre em campo o uso da tecnologia para elucidar casos polêmicos no futebol, após o gol da Inglaterra que a arbitragem ignorou, na vitória da Alemanha por 4-1.

“Sou a favor da tecnologia na linha de gol, particularmente hoje”, comentou Lampard, autor do motivo da discórdia, aos 38 minutos de jogo.

A bola bateu na trave e entrou uns centímetros no gol antes que o goleiro Neuer a recuperasse com as mãos, mas o árbitro uruguaio Jorge Larrionda não validou.

“A bola entrou na linha do gol, estava dentro, foi algo tão claro… Se nós tivéssemos ficado no 2-2 naquele momento, tudo teria sido diferente. Foi uma grande frustração”, destacou o jogador do Chelsea após a derrota pelas oitavas de final em Bloemfontain.

Segundo o capitão do English Team, Steven Gerrard, “quando você perde por 2 a 0 e faz um gol, ganha confiança, mas quando olha a bola entrar e o árbitro ignora, é muito decepcionante”.

“A Fifa terá que refletir porque vi a posição do auxiliar e estava na linha da área, e como poderia ver se a bola passou além da linha (do gol)?” – questionou Gerrard.

“Não sou especialista, não sei se a tecnologia” aplicada “na linha do gol” poderia mudar as coisas, “mas a tecnologia hoje nos daria o gol” e “muita confiança para vencer os alemães”, insistiu Gerrard.

A Fifa e seu presidente Joseph Blatter deverão sofrer uma grande pressão nos próximos dias em consequência da decisão de não permitir a ajuda do vídeo, já que as críticas são mais fortes do que nunca.

A polêmica do vídeo e a inclusão das novas tecnologias no futebol é um tema de debate corrente, apesar de a Fifa ter se negado até agora a usar tais novidades, ao contrário do que acontece em outros esportes, como tênis, rugby, basquete e futebol americano.

“É incrível que em uma época com tanta tecnologia os árbitros não sejam capazes de decidir se foi ou não gol”, afirmou o técnico da Inglaterra, o italiano Fabio Capello.

“Nós cometemos alguns erros que temos que pagar, mas o erro mais grosseiro foi o do árbitro. São detalhes que decidem o resultado”, acrescentou o italiano.

“Estávamos em 2-1 e com esse gol a partida poderia ter mudado”, acredita também o defensor inglês John Terry.

O gol foi tão claro que até o próprio técnico da Alemanha, Joachim Löw, viu-se obrigado a reconhecer que era válido, apesar de não entrar na polêmica.

“Pelo que vimos na televisão, a bola estava além da linha. O gol teria que ter alterado o placar”, admitiu Löw.