O governo do Estado já implantou 84 telecentros em cidades de todas as regiões do Paraná. Outros 19 já estão montados e começam a funcionar até o final do ano, dando continuidade ao compromisso de oferecer à população o acesso à internet gratuitamente. ?A política de inclusão social passa, necessariamente, pela inclusão digital?, defendeu o secretário de Assuntos Estratégicos Nizam Pereira.

Para a implantação dos telecentros foi dada prioridade aos municípios com baixo IDH (Índice de Desenvolvimento Humano). O governo do Estado coordena o programa, fornecendo metodologia, tecnologia e assistência técnica. Já as prefeituras ficam responsáveis pela estrutura física e garantem a manutenção dos equipamentos. Todos os locais contam, pelo menos, com um servidor e cinco estações de trabalho. A Celepar treina dois estagiários ? alunos do ensino médio ? para trabalhar nos telecentros, ajudando os usuários.

Segundo informações da Secretaria de Assuntos Estratégicos, os telecentros tiveram aceitação muito boa junto à população, e as ferramentas de comunicação e os sites de pesquisa têm sido os mais utilizados. Várias localidades formaram também parcerias alternativas com entidades como as APAEs (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) e Associações de Idosos, beneficiando um público diferente do usual.

Cada telecentro conta ainda um conselho gestor, que decide suas prioridades, adequando o funcionamento às características locais. ?O que procuramos é proporcionar o acesso à informação, que permite a inclusão digital e social?, disse Nizam Pereira. ?Hoje, qualquer um pode tirar, por exemplo, a segunda-via de uma conta sem precisar se deslocar para uma cidade vizinha. Os telecentros facilitam a vida e aproximam as pessoas?, concluiu.