O Índice Geral de Preços do Mercado (IGP-M), calculado pela Fundação Getúlio Vargas, apresentou deflação de 0,26% em maio, confirmando a trajetória declinante da inflação observada a partir de março. Em abril, o resultado apurado no IGP-M foi positivo em 0,92%. De acordo com a Associação Nacional das Instituições do Mercado Financeiro (Andima), o IGP-M de maio foi influenciado pelos preços no atacado.

O Índice de Preços por Atacado-IPA caiu em maio 1,11%, devido aos produtos agrícolas e industriais, que mostraram deflação, respectivamente, de 2,94% e 0,42%. O Índice de Preços ao Consumidor, por sua vez, teve variação de 0,83%, inferior em 0,45 ponto percentual ao resultado de abril (1,28%).

As mais expressivas altas no varejo foram observadas nos grupos Habitação (1,77%) e Vestuário (1,12%). O grupo Transportes, que havia caído de 1,17% em março para 0,25% em abril, registrou deflação em maio de 0,16%.

O Índice Nacional do Custo da Construção (INCC) subiu 2,98%, por conta dos grupos Mão-de-Obra (5,15%), em função dos dissídios no mês, e Materiais e Serviços (1,17%).

Com base no IGP-M de maio, a inflação acumulada no ano é de 6,97%, atingindo 31,53% nos últimos 12 meses.