As investigações sobre irregularidades nas licitações do Ministério da Saúde serão ampliadas para todos os contratos, e não apenas os de hemoderivados. A ação é conseqüência da Operação Vampiro, desencadeada na semana passada pela Polícia Federal e que já levou à prisão 16 pessoas envolvidas em fraudes nas licitações de remédios derivados do sangue.

O ministro da Saúde, Humberto Costa, determinou uma investigação interna e pediu ao Tribunal de Contas da União (TCU) e à Controladoria Geral da União uma auditoria externa sobre todas as licitações. O ministro quer uma operação ?pente fino? nas áreas de compras do Ministério da Saúde, envolvendo medicamentos, preservativos, contratos administrativos e de limpeza.

Humberto Costa divulgou nota hoje informando que mantém os processos de compra para evitar qualquer possibilidade de falta de hemoderivados ou outros insumos e medicamentos de responsabilidade do Ministério da Saúde.

O secretário-executivo do Ministério, Gastão Wagner, disse que a população não deve temer e que é fundamental que as doações de sangue continuem sendo feitas. ?A gente faz um apelo à população que não suspenda a doação, ninguém roubou sangue, as pessoas superfaturaram e roubaram dinheiro do governo, mas o sangue das pessoas foi preservado e bem utilizado. O sistema de saúde precisa de sangue e ele tem ido para os pacientes?, explica Gastão.