Belo Horizonte (MG), – Uma criança do sexo feminino, nascida no início da manhã da última terça-feira (23), na Maternidade do Hospital Sofia Feldman, bairro Tupi, região norte de Belo Horizonte (MG), foi registrada como menino. O exame de ultra-som havia indicado que o bebê era do sexo masculino, mas o erro não foi corrigido na hora do registro. A recém-nascida foi carregada pelo pai, que acompanhou o parto, entregue à mãe, ainda sentindo os efeitos da anestesia, e pesada pela enfermeira. Ninguém reparou que tratava-se de uma criança do sexo feminino.

Na declaração de nascido vivo emitida pelo hospital o sexo informado do bebê era masculino. O pai então registrou a filha com o nome de Victor. Somente durante o exame clínico pós-parto, é que o engano foi descoberto. Os pais – ambos de 22 anos, que preferiram o anonimato – agora lutam para reverter a situação e garantir os direitos de cidadã a Eduarda, como se chamará a menina.

Na tarde de hoje (15), nenhum representante da direção do hospital foi encontrado para comentar o assunto. O diretor-clínico do Sofia Feldman, José Carlos da Silveira, no entanto, disse em entrevista anterior à imprensa local que o hospital assumiu o erro e irá tomar providências para corrigir o problema. Os advogados deverão entrar com ação de retificação de registro civil no cartório ou na Vara de Registros Públicos.