Rodger Bosch/AFP

Para evitar qualquer surpresa, o ex-técnico do Feyenoord diz que a equipe deve “manter o nível dos primeiros jogos, concentrada e rápida em busca do espaço, com movimentos diretos”.

A Holanda vai ficar especialmente de olho no artilheiro Robert Vittek, que fez dois nos italianos e tem três gols até agora no Mundial. “Realmente passamos dos limites do futebol eslovaco”, declarou o jogador. “Antes nem sonhávamos com isso. Estou muito feliz e tudo o que somos capazes de fazer estamos fazendo aqui”, garante.

“Os holandeses são claramente os favoritos, mas vamos tentar fazê-los passar um mau momento. Como novatos (em Copas), não temos nada a perder”, admitiu Vittek, na mesma linha do que antes dissera o técnico Vladimir Weiss, que tem o capitão Marek Hamsik como o grande trunfo para a partida.