A candidata do PSOL à Presidência da República, Heloisa Helena, afirmou nesta sexta-feira (29) que a candidatura do ex-presidente Fernando Collor de Mello, que disputa o Senado por Alagoas, "é fruto das articulações do Lula", ao responder sobre como se sentiria na hipótese de sua vaga de senadora ser preenchida pelo candidato do PRTB. "Me substituir, não vai não", declarou.

Ao desembarcar em Porto Alegre (RS), a senadora alagoana disse que "toda a tropa de choque é lulista e ele, inclusive, está de braços dados fazendo campanha para o Lula no meu Estado de Alagoas". Em entrevista no aeroporto Salgado Filho, Heloisa Helena afirmou não ter condições de avaliar a repercussão do debate do qual participou ontem na rede Globo pela falta de pesquisas qualitativas a respeito. Voltou a agradecer à militância e "ao povo brasileiro" e a dizer que "combati o bom combate".

"A gente tem que já se sentir vitorioso do ponto de vista político e espero que, do ponto de vista eleitoral, a gente esteja no segundo turno no domingo", acrescentou. Ao ser questionada se buscava o voto de indecisos nos momentos finais da campanha, Heloisa Helena repetiu o que tem dito sobre as pesquisas e acrescentou uma observação sobre a militância petista. "Ou as pesquisas são mentirosas ou o nosso eleitorado é muito apaixonado e dá a impressão que vamos ganhar no primeiro turno ou o eleitorado do Lula está muito envergonhado e não consegue apresentar seu voto.

Ao abordar a investigação da Polícia Federal sobre a tentativa de compra do dossiê contra o candidato José Serra (PSDB), Heloisa Helena isentou a instituição de responsabilidade em qualquer possível demora nas conclusões. O responsável "pela atividade ilícita, imoral, inaceitável de acobertamento" é o presidente da República, em sua avaliação. Após desembarcar, Heloisa Helena seguiu em carreata por ruas da zona norte de Porto Alegre.