O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que o Brasil merece ter cotas de participação do Fundo Monetário Internacional (FMI) maiores do que possui atualmente. "A principal demanda do Brasil é que seja reconhecida a mudança da posição econômica de diversos países emergentes dentro do Fundo Monetário", afirmou em entrevista nos bastidores do encontro de Primavera do FMI.

"Hoje, o Brasil tem o oitavo PIB mundial, levando em consideração a paridade do poder de compra. Então, o Brasil merece ter mais cotas do que possui", afirmou. Para o ministro, "os países que cresceram mais e que têm um PIB maior têm de ter cotas maiores e, portanto, um poder de decisão maior dentro do Fundo. Esta é nossa principal reivindicação", completou.

Desta forma, Mantega acredita que é necessário que haja mudança nas condições e nos critérios para a definição das cotas. "É claro que existem interesses divergentes. Podemos combinar critérios aumentando o peso do PIB na participação dos países no fundo monetário", afirmou. Segundo dados do FMI, o Brasil detém 1,40% das cotas em SDRs do Fundo, com proporção de votos de 1 39%.