Rio, 20 (AE) – A guerra do tráfico em morros da região central da cidade deixou uma criança e dois adolescentes mortos na tarde de hoje, feriado municipal no Rio, em comemoração ao dia de São Sebastião, padroeiro da cidade. Os tiros foram disparados por volta das 17 horas. Um adolescente também ficou ferido.

De acordo com a polícia, moradores do Morro da Mineira faziam uma festa para comemorar o feriado. Traficantes de uma quadrilha rival começaram a fazer disparos do Morro do Zinco em direção à festa.

Atingiram moradores do Morro do São Carlos e da Mineira. João Victor Ferreira de Mattos, de 5 anos, brincava no quintal de casa, no Morro do São Carlos, quando foi baleado no pescoço. A prima dele, Taíne Rodrigues dos Santos, de 13, estava em outro ponto do morro, quando foi atingida no tórax. Ela foi socorrida por uma kombi que faz lotação e levada para o Hospital Central da Polícia Militar, onde morreu.

Luiz Fernando Vieira, de 16 anos, morador do Morro da Mineira, foi atingido na cabeça. O pai dele, Geraldo Camilo Vieira, de 46 anos, que ajudou a socorrer o filho, contou que o jovem passeava na rua, quando foi alvejado. Jone Rodrigues Teixeira, de 16 anos também morador da Mineira, ficou ferido no braço e nas nádegas. Os três garotos foram levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar.

Luiz Fernando e João Victor não sobreviveram. O desespero tomou conta dos pais das vítimas, à medida que os médicos informavam sobre as mortes.

A dona de casa Cristiana Ferreira de Matos, de 29 anos, mãe de João Victor, ficou descontrolada. Ela contou que voltava do enterro de uma vizinha, quando foi surpreendida pela sogra, que gritava que Taíne havia sido baleada. Cristiana correu até sua casa, e encontrou o filho também ferido. "Ele olhou para mim e disse: ‘mamãe, você já chegou?’.

Abracei meu filho e ele caiu no chão. Não percebi que ele já estava morto", disse a dona de casa, que tem outras três filhas de 11, 9 e 8 anos.

Os confrontos entre traficantes dos morros da Mineira e do São Carlos, que recentemente tomaram os pontos de droga do Zinco, são históricos e se acirraram depois da morte de Irapuan David Lopes, o Gangan, chefe do tráfico no São Carlos, morto em confronto com a polícia em outubro do ano passado.

Em 26 de dezembro, tiroteio entre traficantes deixou pelo menos cinco feridos no São Carlos. Naquele dia, o corpo de um homem foi abandonado e incendiado numa lata de lixo, próximo ao morro. Para a polícia, no entanto, ele não seria vítima do confronto entre traficantes.