Sem depender apenas de suas forças para se livrar do rebaixamento para a Série C do Campeonato Brasileiro, o Guarani conta com o apoio do Marília, que na última rodada joga em Belém contra o Paysandu, um dos rivais do time de Campinas para permanecer na Série B.

E o vice-presidente do Marília, Beto Mayo, garante que seu time vai tentar ajudar o Guarani, com o objetivo de defender a honra do futebol paulista. ?O Guarani é um grande clube e não merece passar por uma situação dessa. Posso assegurar que o Marília vai completo para segurar o Paysandu?, disse o dirigente.

O Guarani tem 41 pontos e ocupa a vice-lanterna da Série B. Para escapar da queda, precisa vencer o Vila Nova, em Anápolis (GO), com portões fechados, porque o time goiano foi punido com um mando de campo. Além disso, o time campineiro precisa torcer para que Paysandu e CRB, ambos com 41 pontos, não vençam seus jogos, respectivamente, contra Marília e Remo, ou que a Portuguesa, com 42, não passe pelo Sport no Recife – pelos menos dois desses resultados devem acontecer.

Embora a diretoria do Guarani garanta que ainda pode reaver os três pontos perdidos por uma punição da Fifa, o Departamento Jurídico da Futebol Brasil Associados (FBA), que representa os clubes das Séries B e C, desconhece qualquer ação neste sentido. Segundo a entidade, foram esgotados todos os prazos de recursos. O Guarani perdeu os pontos devido a uma dívida de cerca de R$ 20 mil com o Samsunspor Külübü, da Turquia, pela não negociação do lateral-esquerdo Gilson, em 2003.