Quem não molhou o biscoito durante a infância que atire a primeira pedra. Ou então não teve infância. Eu me lembro do prazer de colocar rapidamente um biscoito maisena no café com leite e comê-lo, antes que se desfizesse. E fazia exatamente o mesmo com pedaços de pão.

Os adultos já não molham mais o biscoito. Mas já não se vai tomar um drinque, nas casas chiques do Rio, sem que se ofereçam crudités (cenoura, aipo, rabanete e pepino crus) para serem mergulhados em diferentes molhos.

Três das receitas de hoje são exatamente para aumentar essa variedade. E, além disto, são bem apropriadas para o verão. O molho frio de beterraba e iogurte tem a característica de manter o adocicado da beterraba (por isso, ela deve ser assada e não cozida), contrastando com a relativa acidez do iogurte. Além das citadas crudités, o molho vai muito bem com alho-poró, formando uma entrada muito simpática. E o falso ketchup de berinjela e pimentões vermelhos também poderá ser usado como molho para um peixe grelhado, inclusive o atum.

Creio que o Brasil é o único país onde se come abacate como sobremesa. No resto do mundo, ele é sempre servido como entrada, geralmente em saladas compostas. Mas é no México que essa fruta alcança sua maior popularidade: o guacamole é um dos pratos mexicanos mais difundidos no mundo. Este guacamole rústico é muito gostoso e permite que você adapte seu paladar em relação à pimenta, aumentando ou diminuindo a quantidade.

Habitualmente, ele não é servido com legumes crus e sim com biscoitinhos crocantes de milho. Para dar um toque mais sofisticado – e gostoso – vocês poderão fazer os tostados com a polenta ao parmesão para servir com ele.

Ao falar que o Brasil é o único país do mundo que serve o abacate como sobremesa não faço crítica alguma. Adoro nossas sobremesas: a simples fruta, servida com açúcar e limão, amassada com garfo, já é boa. E, de vez em quando, cometo um desaforo, comendo a tradicional sobremesa dos restaurantes tradicionais do Centro do Rio, a Coupe Camargo, que é abacate batido com sorvete de creme e um pouco de licor de cacau por cima.

Paro por aqui porque está na hora de molhar o biscoito. No guacamole, é claro.

Guacamole rústico (tostados de polenta)

Ingredientes:

Para o guacamole: 500g de abacates maduros (com casca e caroço); 2 colheres (de sopa) de suco de limão espremido na hora; 1 pimenta vermelha (tipo dedo de moça) fresca; 6 cebolinhas verdes, incluindo a parte branca; 1 colher (de sopa) de coentro fresco picado (cortar, mas sem bater, com a faca); para os tostados de polenta: polenta, de preferência feita de véspera, já dura, cortada em fatia de tamanho correspondente ao de uma torradinha de três centímetros, calculando uma quantidade de oito a dez por pessoa; óleo para fritura que baste.

Maneira de fazer:

1 – Frite as fatias de polenta para ficarem crocantes.

2 – Abra a pimenta vermelha ao meio, remova e descarte as sementes. Em seguida, pique a pimenta.

Nota: É difícil determinar a quantidade de abacate sem ser por peso. Em contato com o ar, o abacate escurece rapidamente e, para evitar isto, deve-se usar papel filme para isolá-lo.

Rendimento: Para 6 pessoas

Ketchup de berinjela e pimentões vermelhos

Ingredientes:

3 pimentões vermelhos (cerca de 600g); 1 berinjela grande (cerca de 450g); 1 e 1/2 colher (de sopa) de mel.

Maneira de fazer:

1 – Preaqueça o forno no máximo. Lave e enxugue bem os pimentões e a berinjela. leve ao forno bem quente e deixe cerca de 10 a 15 minutos. Retire os pimentões e coloque-os uma vasilha. Cubra com um prato para deixar que “suem”. Leve a berinjela de volta ao forno e abaixe a temperatura para média. Deixe assando por mais 30 minutos. Retire e deixe esfriar.

2 – Descasque os pimentões, elimine as semente e as partes brancas e coloque num liquidificador. Bata até ficar bem ligado e macio.

3 – Coloque a mistura numa panelinha e leve a fogo médio até engrossar um pouco, por cerca de quatro minutos. Junte o mel, tempere com o sal e a pimenta e deixe no fogo mais dois minutos. Deixe esfriar e sirva na temperatura ambiente.

Rendimento: Aproximadamente uma xícara e um quarto.

Polenta al parmegiano (polenta ao queijo parmesão)

Ingredientes:

1/2 litro de leite; 300g de fubá; 1 e 1/2 colher (de chá) de sal; 1 e 3/4 colher (de chá) de tomilho fresco; pimenta-do-reino moída na hora; 130g de queijo parmesão de boa qualidade; 2 colheres (de sopa) de azeite.

Modo de fazer:

1 – Coloque numa panela o leite, o sal, e mais 650 mililitros de água. Aqueça em fogo médio.

2 – Numa vasilha, coloque o fubá e junte 125 mililitros de água. Misture bem. Despeje, pouco a pouco, sobre a mistura de leite, já fervilhando. Mexa com colher de pau, até engrossar, por cerca de três minutos. Diminua o fogo e deixe cozinhar cerca de meia hora, mexendo regularmente, até ficar bem firme. Junte à mistura o tomilho, o parmesão ralado e a pimenta-do-reino, incorporando muito bem.

3 – Despeje em fôrma (ou fôrmas) de pão (tamanho para pão de fôrma ou menor) untadas com óleo. Depois de esfriar, coloque na geladeira no mínimo por três horas ou de véspera. Antes de servir, retire da fôrma e corte em fatias de dois centímetros de espessura. Aqueça uma frigideira, em fogo de médio para forte. Frite as fatias de polenta com o azeite, dos dois lados, até que peguem uma bela cor. Retire da frigideira e coloque sobre papel absorvente. Divida as fatias em diagonal, formando, cada uma, dois triângulos. Sirva bem quente.

Nota: Esta polenta, levemente frita, é muito gostosa e pode ser servida de entrada, com uma saladinha ou como acompanhamento para um prato com molho (um frango ou um cordeiro). Se não quiser ter trabalho fazendo a polenta, sirva com snacks de milho disponíveis no mercado.