Um grupo ligado a Al-Qaeda assumiu responsabilidade pelos ataques que libertaram centenas de detentos em duas prisões no Iraque.

“Os mujahidin (guerreiros santos), depois de meses de preparação e planejamento, visaram atingir duas das maiores prisões do governo Safavid”, disse o comunicado assinado pelo Estado Islâmico do Iraque e Levante, grupo conhecido como ISIS, usando um termo pejorativo para os xiitas.

O grupo apelidou a operação, que começou na noite de domingo, de “Conquistando os Tiranos”. Segundo o ISIS, a ofensiva envolveu 12 carros-bomba e ajuda de prisioneiros que conseguiram obter armas dentro dos complexos penitenciários.

Os rebeldes afirmam ter libertado centenas de detentos, incluindo mais de 500 combatentes mujahedin.

Autoridades iraquianas disseram que os ataques mataram dezenas de pessoas e libertaram mais 500 presos. Fonte: Dow Jones Newswires e Associated Press.