Um grupo iraquiano divulgou nesta quarta-feira (16) um vídeo mostrando um foguete Katiusha sendo lançado supostamente contra a Zona Verde, controlada pelos Estados Unidos, em solidariedade ao Hezbollah libanês. As imagens mostram vários homens encapuzados preparando um lançador num estacionamento onde eram vistos alguns ônibus incendiados, e então disparando o foguete. O ataque teria ocorrido no domingo.

O grupo, autoproclamado "Gritando a Verdade", disse que o foguete era para demonstrar apoio ao xiita Hezbollah, cujas milícias travaram uma guerra de 34 dias com Israel no Líbano. O grupo de homens parecia tranqüilo enquanto armava o lançador e usava compasso para posicioná-lo. Eles não demonstravam temor de serem descobertos por uma patrulha terrestre ou aérea.

O embaixador americano no Iraque, Zalmay Khalilzad, afirmou ao jornal The New York Times que o Irã está incentivando milícias xiitas a promoveram ataques contra forças dos EUA em retaliação ao assalto israelense contra o Hezbollah, que é apoiado pelo Irã. A orientação do Irã levou à intensificação de ataques com morteiros e foguetes contra a fortificada Zona Verde, localizada em Bagdá e que abriga prédios governamentais e a Embaixada dos EUA, acrescentou.

Quatro soldados australianos foram feridos na segunda-feira num ataque de foguete contra a Zona Verde. Um deles, uma soldado, ficou seriamente ferida.