Pelo menos um interessado em participar do leilão da Varig desistiu após analisar os números da empresa. O grupo europeu representado pela consultoria brasileira Azulis Capital renunciou ao leilão. "Tivemos uma reunião agora às 14 horas, passamos todas as informações solicitadas pelo nosso cliente, que decidiu não mais participar do leilão", disse o executivo Emerson Pieri, que representa um banco franco-suíço contratado pelo investidor e que para essa operação trabalha com a consultoria Azulis Capital.

Pieri não revela o nome do investidor nem do banco. A Azulis tem como sócia a ex-superintendente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) Ivone Saraiva. Segundo Pieri, o rombo nas finanças da Varig foi "maior do que o esperado".

Questionado se o grupo teve acesso ao data room (sala com informações financeiras da empresa), Pieri não quis comentar. De todas as empresas que compraram o acesso ao data room entre ontem e hoje apenas uma não foi identificada por estar representada por um escritório de advocacia, o Ulhôa, Canto, Rezende e Guerra. As demais foram OceanAir, Aero-LB, TAM e Gol.

Dentre os pontos que levaram à desistência do grupo europeu, Pieri ressalta incertezas sobre a sucessão de dívidas trabalhista e tributária, o problema com a dívida de R$ 2,3 bilhões com o fundo de pensão Aerus e falta de detalhes em relação ao empréstimo do BNDES.