O governo poderá liberar a utilização de parte dos recursos do FGTS (Fundo de Garantia por Tempo de Serviço) como garantia (lastro) em operações de crédito realizadas junto à Caixa Econômica Federal, administradora do fundo. A informação é do ministro da Previdência, Ricardo Berzoini.

Segundo o ministro, a idéia é que o trabalhador possa colocar parte (percentual ainda não definido) do saldo que possui no FGTS como garantia para obter empréstimo bancário a um custo mais baixo. A operação, no entanto, não significará um saque dos recursos do fundo. O ministro explicou que, caso o empréstimo não seja pago, o nome do trabalhador será incluído na lista de devedores.

A garantia com recursos depositados no FGTS diminuiria o risco da operação, permitindo uma queda nos juros, na avaliação do ministro. Mas ele disse que as condições dessas operações ainda não foram definidas. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)