Os trabalhadores da montadora Volkswagen/Audi, em São José dos Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, aceitaram em assembléia realizada nesta segunda-feira a nova proposta da direção da empresa e decidiram terminar a greve reiniciada na última quarta-feira.

O acordo foi negociado pelo governo do Estado no fim de semana em reunião entre patrões e funcionários no Palácio Iguaçu. A solução foi intermediada pelo presidente do Conselho Estadual da Política Automotiva, Daniel Godoy, também assessor especial do governador Roberto Requião.

Pelo acordo, ficou mantido o valor de R$ 2.950 de Participarão de Lucros e Resultados (PLR), determinada pelo Tribunal Regional do Trabalho (TRT), da qual os trabalhadores receberão um adiantamento de R$ 1.400 no mês de junho.

Também ficou mantida a carga de trabalho em 42 horas semanais até abril de 2005, quando vence o acordo firmado há três anos entre o sindicato e a montadora. As negociações sobre uma redução para 40 horas, como pedem os metalúrgicos, serão retomadas em janeiro.

A direção da empresa informou ainda que, em relação ao pagamento pelos sete dias parados durante a greve, ficou definido que a montadora não fará descontos na folha de pagamento. Os trabalhadores, no entanto, terão de compensar com horas extras.