Os produtores rurais e co-operativas agropecuárias que produziram feijão na safra 2006/2007 podem comercializar a produção durante este mês de março para a União através da modalidade de Aquisição do Governo Federal – AGF, no limite individual por produtor de 150 sacas, informa o Instituto Paranaense de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater), vinculado à Secretaria de Estado da Agricultura e do Abastecimento (Seab).

Para a engenheira agrônoma Marli Peres Parra, gerente regional da Emater de Londrina, esta oportunidade de venda vem em boa hora para capitalizar o agricultor familiar que colheu feijão nas safras das águas e da seca. Destaca ainda que o preço do produto tipo 1 e 2 é de R$ 0,8068 o quilo e o tipo 3 um pouco menos, R$ 0,7833 o quilo. ?Preços atrativos em relação ao mercado, que oferece de R$ 40,00 a R$ 50,00 a saca de 60 kg?.

Segundo o Departamento de Economia Rural da Seab, o Paraná cultivou na safra da seca 156 mil hectares, com estimativa de colheita de 288 toneladas. Na safra das águas o cultivo do feijão ocupou 389 mil hectares e a previsão de colheita é de 558 toneladas.