A discussão sobre o reajuste no valor das tarifas da Rede Integrada de Transporte (RIT) prossegue. O governador Roberto Requião demonstrou impaciência com relação ao assunto durante a reunião semanal do secretariado, realizada hoje pela manhã, no auditório no Auditório Museu Oscar Niemeyer, em Curitiba.

Requião disse que desconfia da existência de um caixa 2 embutido na tarifa do transporte coletivo da capital.

A assessoria de imprensa do Palácio Iguaçu afirmou que as declarações foram feitas fora de contexto, não se tratando de assuntos relatados durante a reunião.

Cassio deve se reunir amanhã com a Procuradoria Geral do município, que já está analisando a declaração do governador, para definir quais medidas serão tomadas.

Enquanto isso, os trabalhos de avaliação dos custos da planilha para o reajuste das tarifas apresentada pela Urbs continuam. Os técnicos começaram a análise na quinta-feira passada. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)