O presidente do PT, Tarso Genro disse, nesta terça-feira, que é compreensível que alguns petistas optem por deixar o partido em função da crise política, que afeta o governo federal. Mesmo assim, ele insistiu que pretende trabalhar para evitar a evasão dos militantes.

"Se saírem nós vamos compreender, mas nós queremos que não ocorra evasão, e queremos um PT que recupere a pluralidade e a capacidade de diálogo para produzir projetos e propostas a partir de idéias, de discussão, de argumentação, e não de uma maioria meramente numérica", disse Genro em referência a forma como o partido foi conduzido ao longo dos últimos anos.

Como parte da estratégia, Genro está coordenando um movimento de refundação do PT, que poderá resultar na formação de uma nova maioria dentro da sigla. Hoje o presidente do PT pediu o apoio do crítico literário e cientista político Antonio Candido, para o movimento, tendo entregue a eles um manifesto sobre o tema. "Ele viu com muita simpatia o manifesto", disse.

Genro afirmou que na segunda-feira será realizado, na sede do diretório nacional do PT, na Capital paulista, um evento para começar a dar forma a este movimento. Genro explicou que não fez um convite para que Candido comparecesse ao encontro, devido a problemas familiares enfrentados pelo intelectual de 87 anos, membro fundador do PT.Mesmo assim, Genro acredita que Antonio Candido enviará por escrito um documento para ser lido durante o encontro.