O presidente nacional do PT, Tarso Genro, e o secretário nacional de Finanças e Planejamento do partido, deputado José Pimentel (CE), afirmaram, nesta quinta-feira, nota, que a executiva nacional da legenda autorizou, em 2002, despesas referentes ao deslocamento da equipe de transição do governo e a preparativos para a posse do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O comunicado foi em referência à denúncia de que familiares de Lula e do ministro da Fazenda, Antonio Palocci, teriam usado passagens aéreas com a verba do fundo.

O texto informa que a maioria dos usuários das passagens é filiada e dirigente da sigla e que não há restrições legais quanto ao custeio de bilhetes pelo fundo. Genro e Pimentel disseram que a agremiação se submeterá a uma avaliação técnica para verificar supostos abusos cometidos quanto ao uso dos recursos.