Um assistente do interventor do Banco Santos, Vanio Aguiar, deve receber a qualquer momento uma comissão de funcionários do banco. Neste momento, o grupo faz protesto na porta da instituição reivindicando uma negociação formal com o interventor. Segundo a diretora do Sindicato dos Bancários de São Paulo, Maria do Carmo, foi o próprio interventor quem sugeriu, quando o Banco Central interveio no Banco Santos, que os funcionários formassem um comitê para negociar com ele.

Há cerca de 15 dias os funcionários mandaram uma lista de reivindicações, mas até o momento não obtiveram nenhuma resposta do interventor. A principal reivindicação dos funcionários é a reintegração dos trabalhadores que foram retirados do quadro do banco no fim do ano passado. Segundo Maria do Carmo, a maior parte dos funcionários da instituição foi transferida para outras empresas do grupo em dezembro de 2003. Agora, apenas 320 dos 800 funcionários permanecem na instituição. O problema, segundo a sindicalista, é que o BC só se responsabiliza pelos funcionários do banco.Os funcionários esperam receber amanhã os salários que ficaram bloqueados no dia da intervenção pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).