A Fundação Nacional de Saúde está investindo na instalação de Centros de Referência para Imunobiológicos Especiais. Essas unidades oferecem aos usuários do Sistema Único de Saúde vacinas e soros recomendados para pacientes com deficiência imunológica, crianças que apresentem reações graves às vacinas convencionais e portadores de doenças crônicas.
No total, existem 36 centros em todo o Brasil. Sendo que há pelo menos um por Estado. Mas, para ter acesso às vacinas especiais, o paciente precisa ser encaminhado por um médico.
“É muito importante, primeiro, que os profissionais de saúde tenham conhecimento que esses centros existem, porque as pessoas são encaminhadas pelos seus médicos a esses centros de referência especiais. Por exemplo: os médicos que atendem às pessoas com problemas renais, os nefrologistas, ou que atendem pessoas com casos graves de hepatite C, por exemplo. Esses profissionais têm que saber que existem as vacinas e fazer o encaminhamento do paciente”. Disse a coordenadora do Programa Nacional de Imunizações, Rosa Castália.
O investimento anual da Funasa nos centros de referência é de R$ 25 milhões. Segundo, a coordenadora, em alguns casos as vacinas especiais chegam a custar até 30 vezes mais caro que as convencionais. A relação dos centros de Referência para Imunobiológicos Especiais pode ser vista no site da Funasa:
www.funasa.gov.br.