Brasília – O empresário Marcos Valério de Sousa não emprestou, mas sim deu dinheiro ao Partido dos Trabalhadores, afirmou o sub-relator para movimentação financeira da Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) dos Correios, deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR). Ao divulgar o relatório parcial sobre a movimentação financeira de Marcos Valério, ele disse que "não há empréstimo de Marcos Valério ao PT". Para ele, Valério doou esse dinheiro ao PT. "Juridicamente, é ele quem vai pagar essa conta junto ao BMG e junto ao Banco Rural".

O deputado disse que é importante verificar a origem dos recursos, sendo que a CPI trabalha com duas hipóteses. Uma, que os empréstimos foram feitos para não serem pagos; outra hipótese, que está sendo investigada, é a de que os empréstimos foram utilizados para dar entrada em dinheiro que estaria em contas do exterior.

Para Fruet, uma das dificuldades para analisar a movimentação de Valério e suas empresas é que ele abriu 79 contas em nove bancos. "Fica claro que ele evita o rastreamento usando mais de 70 contas em nove bancos e a contabilidade dele é confusa. E essa confusão é para evitar justamente a identificação clara da origem do recurso com pagamento", afirmou. "Não há um elo sobre o dinheiro que entrou dos bancos do BMG e Banco Rural com o dinheiro que saiu".