A escolha para o lançamento do programa Fome Zero provoca uma migração de famintos da região do semi-árido para Guaribas, no sul de Teresina. Eles vão em busca dos benefícios anunciados pelo governo federal, temendo que o programa não seja estendido para o restante do todo o Estado.

O presidente da APPM (Associação Piauiense dos Municípios), José Maia Filho (PPB), informou que existem quase “90 Guaribas” no Estado e reclamou que o programa não pode ficar restrito apenas a duas cidades – Guaribas e Acauã.

Maia Filho levou o problema ao conhecimento da coordenadora do programa Fome Zero no Piauí, Rosângela Sousa. “Criaram uma grande expectativa em torno do lançamento do programa lá no município e fomos informados de que muitas pessoas que moram em outros lugares estão se mudando para Guaribas, a fim de se cadastrarem para serem beneficiadas pelo programa”, explicou.

Segundo o presidente da APPM, o governo do Estado tem agora a responsabilidade de informar como vai se dar a execução do programa e quando o Fome Zero vai alcançar os outros municípios. “É preciso que as pessoas entendam que todos os municípios do Piauí estão em situação parecida e precisam ser incluídos no Programa”, afirmou.

Cadastro

A princípio, o Fome Zero vai atender apenas 500 famílias de Guaribas e outras 500 de Acauã, também no sul de Teresina. A solução apresentada por Maia Filho foi utilizar um cadastro único das famílias em situação de miséria feito no governo do presidente Fernando Henrique Cardoso. O cadastro está em poder da Caixa Econômica Federal. “Basta que se pegue o cadastro que já está pronto, que é o mais atualizado e mais amplo”, explicou

“Não precisa fazer novo cadastro para poder estender o programa a outros municípios”, completou. Para ele, o excesso de mídia pode prejudicar Guaribas, que enfrenta sérios problemas administrativos.

O Ministério Público do Estado determinou que dois promotores fossem ao município para apurar denúncias de desvio de recursos, improbidade administrativa e a ausência do prefeito Reginaldo Correia (PL) na cidade.

Os promotores Ruszel Lima Verde e João Batista Carvalho estarão acompanhados por uma equipe de policiais civis. Esse policiais farão as investigações que darão subsídios para os inquéritos.