O diretor-gerente do FMI (Fundo Monetário Internacional), Horst Koehler, disse hoje que o Brasil possivelmente não precisará de um novo acordo com a instituição. No entanto, Koehler afirmou que cabe ao governo brasileiro a decisão de negociar ou não a renovação do programa.

?Nós achamos que o presidente Lula e seu governo construíram uma credibilidade muito boa e são eles que decidem se podem sustentar essa credibilidade com ou sem um programa (de empréstimos). Nós estamos prontos para ajudar?, disse ele, antes do início da reunião anual do FMI, em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos.

O atual acordo com o Fundo, no valor de US$ 30 bilhões, termina em dezembro. Uma decisão sobre a renovação do acordo pelo governo brasileiro deverá ser tomada em outubro. (Leia mais na edição de amanhã do jornal O Estado do Paraná)