A direção do Fundo Monetário Internacional (FMI) se reúne hoje em Washington (EUA) para aprovar a nona revisão do acordo prorrogado em dezembro do ano passado com o Brasil, de quase US$ 15 bilhões. O acordo, que vence no início de 2005, não deverá ser renovado segundo já anunciou o governo.

Com a aprovação da revisão, o Brasil terá direito a sacar US$ 1,3 bilhão, mas não deverá recorrer ao empréstimo. No mês passado, quando esteve no Brasil para a revisão, o chefe da missão do FMI, Charles Collyns, disse que o desempenho da economia brasileira está bom e que se sentia feliz em poder recomendar a aprovação da nona etapa do acordo do Brasil com o fundo.