O Brasil voltou a ter saldo positivo em julho no fluxo de dólares pelo mercado de câmbio, segundo o Banco Central. O País registrou um ingresso líquido de US$ 2,49 bilhões, invertendo o saldo negativo de US$ 2,68 bilhões registrado em junho, no auge da turbulência do mercado financeiro internacional. De janeiro a julho, o fluxo foi positivo em US$ 25,621 bilhões.

"O resultado de julho não deve ser interpretado como o retorno do otimismo dos investidores, mas como a volta da normalidade no mercado", disse o economista-chefe da GAP Asset Management, Alexandre Maia. Segundo ele, em junho a situação foi atípica pelo nervosismo dos mercados. "Poderemos dizer que o otimismo voltou se nos próximos meses houver saldos positivos como o de fevereiro e março (quando o ingresso mensal foi próximo de US$ 8 bilhões).

Maia destacou que o fluxo de dólares originados da balança comercial sustentou o saldo positivo de julho. De acordo com o BC, o ingresso de dólares pelo câmbio comercial em julho foi de US$ 4,79 bilhões, ante US$ 3,57 bilhões no mês anterior. No ano, o saldo é positivo em US$ 32,65 bilhões. "O comércio é a grande âncora do fluxo de dólares", disse.

O economista acrescentou que, no câmbio financeiro, houve resultado negativo de US$ 2,30 bilhões, o que referenda o raciocínio de que o otimismo ainda não voltou, embora em junho a saída tenha sido bem maior, de US$ 6,25 bilhões. "Ainda não vemos entradas de dólares significativas para investimentos em bolsa, por exemplo.