Os juros para o financiamento de automóveis devem cair, a partir da próxima semana, na mesma proporção da baixa da Selic anunciada hoje, de 0,75%, disse o presidente da Associação Nacional das Empresas Financeiras das Montadoras (Anef), Luiz Montenegro. Para modelos novos, a taxa deve ficar próxima a 1,45% e, para usados, na casa de 2,5% ao mês.

Várias instituições, antecipando a decisão do Copom, começaram a aplicar esses índices já nesta semana. Os prazos também devem ficar mais longos. Hoje, a média é de 27 meses e os bancos das montadoras vão trabalhar para chegar ao fim do ano com 36 meses.

Para o presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Felício, a queda foi "pequena demais, absolutamente insuficiente " Ele criticou a postura da equipe econômica por manter "uma idéia falsa e obsessiva de que a inflação é o único mal da existência humana. Essa espécie de patologia nos aprisiona a metas irrealistas de inflação e amarra o processo de desenvolvimento à pesada âncora que é a taxa básica de juros."

Também reagiu com críticas o presidente da Força Sindical, Paulo Pereira da Silva, que considerou a redução "pífia para o crescimento da economia". Segundo ele, os trabalhadores assistem meses após meses a queda dos juros em conta gotas, com pouco efeito para a economia. "É necessária uma queda brusca e urgente para voltarmos a ter um bom crescimento da economia."