O Fortaleza conseguiu cumprir em grau, gênero e número, sua estratégia aplicada diante do Figueirense e segurou um importante empate por 0 a 0, hoje, em jogo da oitava rodada do Campeonato Brasileiro da Série A. O time se fechou na defesa e, com o auxílio de três volantes, impediu qualquer ação ofensiva mais prática da equipe catarinense.

O jogo exigiu paciência nas arquibancadas e tranqüilidade dentro de campo. O Figueirense mostrou amplo domínio e poucas vezes conseguiu ameaçar o goleiro Albérico. A melhor oportunidade aconteceu aos 39 minutos do primeiro tempo, quando o atacante Schwenck arriscou, potente, mas a bola desviou na zaga.

O panorama se repetiu no segundo tempo. E mesmo com um jogador a mais – o zagueiro Chicão foi expulso aos 23 minutos – o Figueirense continuou a demonstrar impotência próxima da área adversária. E como num jogo de xadrez, os técnicos Adilson Batista e Márcio Bittencourt também travaram uma batalha particular à beira do gramado. Batista fez as três substituições possíveis na tentativa de deixar sua equipe ainda mais ofensiva, inclusive, com a presença do velocista Thiago Silvy.

Por sua vez, Bittencourt insistiu no ?ferrolho? cearense, estratégia que representou um lucrativo ponto na tabela de classificação. ?Este foi um daqueles jogos que se a gente ficasse tentando fazer o gol a noite toda, não conseguiria?, resumiu, após o capitão da equipe do Figueirense, Marquinhos Paraná.