Em correspondência enviada ao governador, o presidente da Fiep ? Federação das Indústrias do Paraná, manifestou total apoio a proposição da Compagás ? Companhia Paranaense de Gás, empresa de economia mista que tem como principal acionista a Copel, de aumentar e melhorar o suprimento de gás para a região Sul. Este aumento se daria pela ampliação da capacidade de transporte do Gasbol ? Gasoduto Brasil-Bolívia, no trecho Campinas (SP)-Araucária (PR) e da implantação de uma unidade de recebimento e regaseificação de GNL com um gasoduto entre as cidades de Paranaguá e Araucária.

Rocha Loures alega que o empresariado paranaense entende que a disponibilidade de gás natural é ?fundamental para impulsionar o desenvolvimento econômico de nosso Estado?, onde segundo ele existe uma demanda reprimida em função do crescimento do mercado. ?Isto torna imprescindível a busca de alternativa que garantam o aumento da oferta deste insumo?, acrescentou.

Ele garante que o sistema Fiep estará do lado do governador, para ?contribuir no encaminhamento desta questão?, que é vital para o desenvolvimento do Paraná. E revelou que, de acordo com dados do Departamento de Energia da federação, em março último, o consumo médio de gás no Estado foi de 767 mil metros cúbicos/dia, dos quais 680 mil foram consumidos pelo setor industrial. O gás representa cerca de 3% de toda a energia consumida pela indústria paranaense.

A discussão deste tema estará na pauta do Seminário de Tecnologias Energéticas do Futuro, que será aberto na noite de domingo (07), prosseguindo até terça-feira (09), no Cietep, numa promoção conjunta da Copel e Sistema Fiep. A iniciativa na promoção do seminário deve-se à preocupação do setor industrial com a iminente crise no abastecimento de energia. Se nada for feito em 2010 haverá um colapso de energia. O Seminário vai reunir especialistas do Brasil e do exterior para discutir grandes temas como petróleo, hidreletricidade, energia eólica, energia nuclear, biomassa, energia solar, hidrogênio, células a combustível e conservação de energia.

Setor industrial – O setor industrial dos três estados do Sul do Brasil congrega cerca de 169 mil estabelecimentos industriais. Em 2003, seu PIB chegou a R$ 289 bilhões, ou seja, 18,6% do PIB nacional, sendo a segunda região mais industrializada do país, empregando 1,6 milhão de pessoas. As exportações em 2005 atingiram US$ 26 bilhões, 22% do total brasileiro, ocupando a 2ª posição no ranking das regiões da federação que contribuem com o superávit da balança comercial brasileira.