Sete deputados federais da comissão da Câmara que acompanha as investigações sobre a chacina da Baixada Fluminense estão reunidos no Batalhão de Mesquita com o subsecretário de Planejamento Operacional e Integração da Secretaria de Segurança Pública, Paulo Souto. Na porta do batalhão, cerca de 50 pessoas protestam contra a prisão de PMs suspeitos da matança. São mulheres, mães e amigos dos quatro policiais militares detidos administrativamente na unidade. Os manifestantes acreditam que a secretaria determinou as prisões "para mostrar serviço" e que não há provas contra eles.