Além da chuva, um problema num software usado pelo Centro Integrado de Defesa Aérea e Controle do Tráfego Aéreo (Cindacta-1), situado em Brasília, prejudicou as operações no Aeroporto de Congonhas, na zona Sul de São Paulo, neste domingo.

Por volta das 10 horas, o programa, responsável pelo seqüenciamento dos planos de vôos e pela liberação deles, falhou e teve de ser reiniciado.

O software ficou parado por sete minutos, segundo o Centro de Comunicação Social da Aeronáutica, período em que não houve autorização para pousos ou decolagens. A falha provocou atrasos nas operações de aeroportos do Rio de Janeiro, São Paulo e Brasília.

Dados da Infraero revelam que, entre 13 e 14 horas, 23 vôos sofreram atrasos superiores a 45 minutos em Congonhas.