O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, reconheceu, em audiência pública no Senado, que é uma falha da Força Aérea Brasileira (FAB) não ter uma reserva técnica de controladores de vôo para substituições. Ele disse que acredita ser esse o principal motivo que gerou crise da falta de pessoal treinado, já que logo após o acidente com o Boeing da Gol, 22 profissionais tiveram que ser afastados; alguns porque estavam de plantão no dia da tragédia e outros porque tiveram problemas psicológicos em decorrência do episódio.

"Temos que ter uma reserva técnica. O nosso presidente (Lula) chegou a nos cobrar isso. ‘Bueno, porque não temos uma reserva de pessoal’. E eu tive de reconhecer: não temos; falha minha", disse o comandante, acrescentando que havia dinheiro para isso, ao responder a uma pergunta do senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA). Bueno aproveitou para negar ao senador baiano que a Aeronáutica esteja sobrecarregando de trabalho os controladores de vôo. Ele explicou que a demora dos profissionais remanejados de outros locais do País para Brasília em assumir os seus postos foi provocada pela necessidade de um treinamento cuidadoso. Agora, com esses profissionais assumindo, disse Bueno, é possível garantir que nas festas de fim de ano não haverá o caos verificado no último mês nos aeroportos.