A explosão de uma carta-bomba hoje na sede da companhia que administra o pedágio do centro de Londres provocou ferimentos em uma funcionária, informaram oficiais do Corpo de Bombeiros local. A carta foi enviada à Capita Commercial Services, uma subsidiária do Capita Group, empresa que controla o pedágio diário de 8 libras esterlinas para que um veículo possa trafegar pelo centro de Londres.

"Não ouvimos a explosão de uma bomba, mas as ambulâncias chegaram, talvez umas três ou quatro, assim como o Corpo de Bombeiros", disse uma mulher que trabalha num salão de beleza perto do local e pediu para não ser identificada. De acordo com as equipes de resgate, a única vítima da explosão sofreu escoriações superficiais. Segundo a testemunha, a mulher foi retirada aos prantos enquanto era socorrida.

A Capita foi fundada em 1984 e possui mais de 26 mil funcionários. Além de controlar o pedágio londrino, o Capita Group presta serviços ao Departamento de Registros Criminais, ao Departamento de Indústria e Comércio e ao Departamento de Trabalho e Previdência. Uma porta-voz da empresa não quis se pronunciar sobre o incidente. O governo terceiriza parte de seu trabalho junto à companhia.

O local da explosão fica perto do quartel da Scotland Yard, que foi avisada sobre o incidente às 9h40 (7h30 de Brasília). Fontes no governo acreditam que o alvo era mesmo a companhia. Até o momento, a polícia não se pronunciou sobre suspeitos.

No início dos anos 1970, o Exército Republicano Irlandês (Ira) utilizou cartas-bomba para promover ataques. A tática levou o serviço de correios a desenvolver mecanismos para detectar substâncias suspeitas nos envelopes.