A Secretaria Municipal da Saúde ganhou mais um aliado no trabalho de prevenção à dengue na região do Boqueirão. O 5º Grupo de Artilharia de Campanha Autopropulsado do Exército abriu espaço na exposição institucional que promove até domingo (15), no Shopping Cidade, para apresentar os riscos da doença e as formas de prevenção contra a doença.

"A adesão é muito bem-vinda e oportuna porque o Boqueirão é a área da cidade que mais concentra focos identificados do mosquito transmissor da doença", diz o vice-prefeito e secretário municipal da Saúde, Luciano Ducci. Dos 49 focos identificados neste ano em Curitiba, 15 estavam nos bairros Boqueirão e Hauer.

A partir desta sexta-feira e durante todo o horário de funcionamento do shopping, uma equipe da Seção de Saúde do grupo estará exclusivamente encarregada de apresentar ao público uma maquete em que é possível identificar situações de risco para o aparecimento de ovos e larvas do Aedes aegypt, o mosquito cuja fêmea contaminada transmite a dengue.

Além disso, os militares distribuirão folhetos com dicas para ajudar a população a identificar e eliminar condições favoráveis à proliferação do inseto – como recipientes de todos os tamanhos e plantas que acumulam água limpa. Os materiais educativos foram cedidos pelo Distrito Sanitário Boqueirão. A atividade se repetirá nos próximos dias 20, 21 e 22, no Shopping Portal.

A proximidade da BR 116 e a existência de 150 pontos de parada para caminhões e ônibus de viagem – como postos de gasolina, transportadoras, garagens e distribuidoras – estão entre as explicações para a ocorrência do grande número de focos no Boqueirão.

"Sem saber, os caminhoneiros, motoristas e passageiros transportam ovos e larvas do mosquito ou o próprio inseto, que acabam dando origem a focos na nossa cidade", explica a coordenadora de vigilância em saúde do Distrito Sanitário Boqueirão, Iara Regina Zanella Zanka.

Dos 15 focos localizados nos dois bairros da região, nove estavam em pontos de parada de caminhoneiros, três em estabelecimentos comerciais, dois em residências e um em terreno baldio. Os que não puderam ser eliminados, como ralos que acumulam água, receberam larvicida granulado. O produto tem ação residual prolongada e garante a eliminação também dos ovos do inseto.

Estratégias

A identificação, eliminação ou tratamento dos focos é uma rotina em Curitiba. Assim que um foco é confirmado, a Secretaria Municipal da Saúde visita todos os imóveis situados no raio de 300 metros a partir dele. Cada local é inspecionado, enquanto moradores e trabalhadores recebem orientações sobre como prevenir a doença e reconhecer seus sintomas.

Ao mesmo tempo, o trabalho educativo é estendido a toda a população, por meio de reuniões, palestras e mensagens. Esse trabalho é feito junto a pais, professores e demais funcionários de escolas, além de igrejas e unidades de saúde – onde o tema ganha as salas de espera e as reuniões de grupos com enfoques bem diferentes como os de hipertensos, diabéticos e gestantes.

"Até os finais de missa e novenas são usados para reforçar a mensagem de prevenção e somos muito bem acolhidos. Isso é parte da varredura que estamos fazendo", resume Iara. Depois do Boqueirão e do Hauer, o Jardim Botânico é o bairro da cidade que mais concentra focos, com oito casos identificados e monitorados.