Brasília – O levantamento da Controladoria Geral da União sobre a compra de ambulâncias mostra que, de um total de 3.043 convênios desde 2000, o poder Executivo firmou 38 diretamente com a empresa Planam, acusada de chefiar um esquema de fraudes para desviar recursos públicos. Outros 891 convênios com a Planam, de 2000 e 2004, tiveram origem em emendas parlamentares. Os dados foram enviados à CPI dos Sanguessuga e à Polícia Federal para subsidiar novas investigações.

Os dados foram resultado de um cruzamento feito em parceria com o Ministério da Saúde, que recolheu em todos os estados do país as prestações de contas dos convênios já executados e que envolviam ambulâncias. A partir daí, os auditores cruzaram dados para registrar as emendas parlamentares que originaram os recursos públicos. Com isso foi possível indicar prefeituras, deputados, senadores e ex-parlamentares suspeitos de envolvimento com as fraudes.