A Executiva Estadual do PFL de Minas Gerais reúne-se na sexta-feira (15) para decidir se o deputado George Hilton, pastor da Igreja Universal do Reino de Deus (Iurd), flagrado pela Polícia Federal (PF) quando transportava volumes de dinheiro e cheques, no domingo (10), no Aeroporto da Pampulha, em Belo Horizonte, será mantido no partido.

A tendência é que Hilton seja expulso, segundo o presidente do PFL no Estado, deputado Eliseu Rezende. "Vamos ouvir a defesa de George Hilton, mas a tendência é adotarmos o mesmo procedimento da executiva nacional, que decidiu pelo desligamento do deputado João Batista (Ramos da Silva)", disse Rezende, referindo-se ao deputado, também ligado à Universal, detido pela PF em Brasília por transportar R$ 10 milhões em malas.

O deputado estadual do PFL de Minas Gerais, segundo o presidente do PFL no Estado, filiou-se há apenas dois meses ao partido, depois de passar pelo PL.