Pelo segundo ano consecutivo, os EUA decidiram não buscar uma vaga no Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas (ONU), informou o Departamento de Estado norte-americano, ao mesmo tempo que acusou o painel de ter um viés anti-Israel. O porta-voz do Departamento do Comércio, Sean McCormack, disse que o Conselho de Direitos Humanos da ONU tem tido um "foco singular" sobre Israel, enquanto países como Cuba, Myanmar e Coréia do Norte têm sido poupados de exames mais minuciosos. As informações são da Dow Jones.