O ministro da Saúde, Saraiva Felipe, recebe hoje (14) o maior estudo epidemiológico já realizado no Brasil sobre os fatores de risco para o coração. O Atlas do Coração, que será entregue às 16h30, pelo diretor-executivo da Sociedade Brasileira de Cardiologia, Raimundo Marques do Nascimento Neto, levou dois anos para ser concluído.

O estudo revela os fatores que fazem do Brasil um dos países com maior número de óbitos decorrentes de doenças cardiovasculares – 300 mil a cada ano. O levantamento alcançou 72 cidades brasileiras, registrando diferenças raciais e regionais.

Segundo a pesquisa, a hipertensão é maior entre brancos (29,4%) do que entre pardos e mulatos (26,3%), índios (11,1%) e amarelos (10%). No que se refere ao colesterol, os índices mais altos estão dos estados do Sul, 24,3%, enquanto no Norte e Centro-Oeste a prevalência é de 20%.

Também o tabagismo, de acordo com o estudo, tem distribuição diferente segundo a região, atingindo 25% na região Sul. No Nordeste os fumantes, que antes correspondiam a 24,3% da população, são hoje 18,7% da população.