O ônus suportado pelos contribuintes em escala mundial para a nutrição do mais infamante desvio moral de seres humanos – a corrupção -atinge a inimaginável cifra de US$ 1 trilhão em subornos pagos por ano. Assim, até o final da década o sistemático assalto aos cofres públicos, para ficar com esse exemplo, terá custado US$ 10 trilhões.

Apenas para situar a questão, bastaria tentar uma simulação sobre a aplicação desses recursos em projetos de habitação popular, saúde, educação, segurança alimentar, saneamento básico e preservação ambiental em países pobres, nos quais os Índices de Desenvolvimento Humano (IDH), estabelecidos pela ONU, retratam a existência de amplas camadas populacionais vivendo em condições infra-humanas.

A situação vexatória foi levantada pelo estudo intitulado Projeto do Milênio, patrocinado pela organização não governamental internacional World Federation of UN Associations.

O relatório sobre o ?Estado do Futuro? que avaliou a situação mundial e as perspectivas de resolução da problemática social, acabou sendo altamente positivo para os países em desenvolvimento. ?A grande maioria dos subornos acontece em países ricos, em que a tomada de decisões está mais vulnerável a vastas quantidades de dinheiro?, segundo informação da BBC Brasil.

Entrementes, o relatório aduz uma grave ameaça global que não respeita fronteiras ou raças, o crime organizado, que movimenta US$ 2 trilhões anuais e supera os orçamentos militares da maioria dos países do mundo.