Cerca de 14 milhões de alunos da rede pública de ensino fundamental de todo o país vão ter acesso, a partir de fevereiro de 2007, aos clássicos da literatura nacional e mundial em histórias em quadrinhos. Os exemplares fazem parte da nova coleção do Programa Nacional Biblioteca da Escola (PNBE) do Ministério da Educação que vai distribuir mais de sete milhões e meio de exemplares para 46 mil e 700 escolas.

A coleção inclui obras de autores brasileiros consagrados como, Vidas Secas, de Graciliano Ramos e Novas Seletas, de João Cabral de Melo Neto. Além de livros de autores estrangeiros, como Dom Quixote em quadrinhos, de Antônio Carlos Tironi, uma adaptação da obra Dom Quixote de La Mancha, do espanhol Miguel de Cervantes. O argentino Joaquim Salvador Lavado, também está na coleção com Toda Mafalda. Mafalda é uma menina de sete anos de idade que vive em Buenos Aires, é contra o racismo e se preocupa com política.

A coordenadora-geral de Estudos e Avaliação de Materiais do MEC, Jane Cristina da Silva, diz que a inclusão dessas obras, no formato em quadrinhos e de imagem, facilitará o aprendizado das crianças em temas mais difíceis. ?Temos que disponibilizar não somente o texto escrito, mas também as imagens artisticamente trabalhadas, pois desta forma é maior a possibilidade de formação de novos leitores?, ressalta.

Para valorizar a importância da cultura negra na formação da sociedade brasileira, o MEC incluiu a adaptação em histórias em quadrinhos de livros que abordam temas desta área, como, A Gênese Africana – contos, mitos e lendas da África, de Dinah de Abreu Azevedo e O Negro da Chibata, de Fernando de Lima Granato.