O secretário do Meio Ambiente e Recursos Hídricos, Rasca Rodrigues, participou nesta quinta-feira (19), em Curitiba, da abertura do workshop Comunicando Mudanças Climáticas, que capacitou cerca de 200 profissionais das áreas de comunicação e educação ambiental, sobre as estratégias eficazes de divulgação sobre o tema. O evento foi realizado em parceria entre governo do Estado, Conselho Britânico e Federação das Indústrias do Paraná (Fiep) e Universidade da Indústria (Unindus).

?Este evento é uma oportunidade de aliar conteúdo à informação. O número de inscritos superou o de vagas, o que demonstra o aumento no interesse da sociedade em participar das discussões sobre aquecimento global e necessidade da redução na emissão de gases no efeito estufa?, declarou o secretário. Segundo ele, o workshop faz parte da proposta do Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas – coordenado pela Secretaria – que tem entre suas atribuições construir uma rede de debates para subsidiar a elaboração da política estadual de mudanças climáticas.

?Estamos trabalhando para promover e cooperar na educação, treinamento e conscientização pública em relação às implicações da mudança do clima, estimulando a mais ampla participação nesse processo?, afirmou Rasca.

Programação

A palestra principal foi feita pela especialista em comunicação sobre mudanças climáticas e membro da força-tarefa da ONU na implementação de estilos de vida sustentáveis, Lucy Shea. Ela é autora do ?Comunicando Sustentabilidade?, um guia do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente, criado para comunicar campanhas eficientes e inspirar mudanças de atitudes.

Em sua primeira palestra no Brasil, Lucy falou sobre estratégias e campanhas de comunicação eficientes, como identificar públicos para campanhas de mudanças climáticas, canais inovadores para alcançar públicos diversos, experiências já desenvolvidas pelo Reino Unido.

Para ela, já está havendo uma grande evolução na comunicação das mudanças climáticas. ?Antigamente os ambientalistas e ativistas levavam apenas mensagens negativas para a sociedade, acusada de não fazer a sua parte. Hoje, devido à articulação entre governo e terceiro setor estas campanhas vem sendo transformadas?, avaliou.

Ela lembrou que muitas mensagens são contraproducentes. ?Se não apresentarmos soluções e formas da sociedade contribuir, acabamos bloqueando a participação dos cidadãos. As pessoas só têm capacidade de agir quando sabem como devem fazer e, também, que são capazes de produzir algo?, explicou Lucy.

Sócia da Futerra Sustainability Communications, Lucy desenvolve técnicas de motivação e inspiração de indivíduos, grupos, somando seus próprios conhecimentos e trabalhos de consultoria para Microsoft, Shell, Unilever, Greenpeace e Governo Britânico.

De acordo com a coordenadora do Fórum Paranaense de Mudanças Climáticas Manyu Chang, o evento dá continuidade as ações do fórum. ?Compõe a estrutura do fórum cinco grupos temáticos que incluem educação ambiental em mudanças climáticas e divulgação e comunicação social do fórum. Este workshop está formando multiplicadores, que poderão auxiliar nas propostas do Paraná para as mudanças climáticas, seja participando do fórum, em seu ambiente de trabalho e até mesmo em casa?, destacou Chang.

De acordo com a coordenadora, o fórum paranaense baseia-se nas ações propostas pela Convenção de Mudanças Climáticas das Nações Unidas e se divide em três grandes frentes: aprofundamento do conhecimento científico sobre as mudanças climáticas e seus impactos, ações para reduzir a emissões de gases efeito estufa, e ações de adaptação frente aos efeitos de mudanças e principalmente de extremos climáticos.